14ª Edição

Safra Soja 2012/13

Segundo o Instituto Matogrossense de Economia Agropecuária (IMEA), foram plantados apenas 77,8% da área prevista para a safra Soja 2012/13 no Mato Grosso, em Lucas do Rio Verde 98%, Ipiranga do Norte 98% e Tapurah 93%.
A escassez de chuvas atrasou não apenas o plantio mas também ocasionou o replantio em algumas regiões do Mato Grosso.
Em decorrência ao clima seco, há uma grande incidência de algumas lagartas na cultura da Soja. Abaixo algumas informações sobre as principais lagartas:

Lagarta Falsa-Medideira

A lagarta Falsa – Medideira ( Pseudoplusia includens, Trichoplusia ni ), tem um hábito de ficar escondida internamente entre as folhas das plantas, ataca as folhas da soja, porém não se alimentam de nervuras, o que
confere às mesmas um aspecto rendilhado.
Esta espécie tem o ciclo de vida de 46 dias e é favorecida por condições de seca, ou períodos de seca que antecedem aos surtos. Por este motivo, é recomendado aplicação de inseticida em horários nos quais a temperatura esta mais amena e a umidade relativa do ar mais elevada. A qualidade da tecnologia de aplicação deve ser capaz de atingir a praga no ‘‘baixeiro’’ e no interior das plantas.

Lagarta da Maçã

A Lagarta da Maçã (Helicoperpa zea e Heliothis virescens) é uma praga destruidora de vagens, porém quando o surto ocorre na fase vegetativa e de florescimento, assume o hábito de praga desfolhadora.
As lagartas de H. virescens diferem daquelas de H. zea por apresentarem micro-espinhos nas pintas que durante o dia ficam escondidas entre as folhas das plantas.
Trata-se de uma praga mais tolerante aos inseticidas do que a lagarta da soja e a lagarta falsa – medideira. Por este motivo, é fundamental o diagnóstico precoce desta praga na área a fim de evitar confusão na identificação e evitar o controle de lagartas de tamanho grande, que são mais dificeis de ser controladas.
Lavouras de soja que recebem aplicações de inseticidas seletivos, normalmente, não tem problema com esta praga, devido ao intenso parasitismo de ovos por Trichogramma.

Lagarta da Rosca

A lagarta da Rosca (Spodoptera frugiperda) ataca o caule de plantinhas novas, muitas vezes provoca tombamento de plântulas e alimenta-se das folhas, levando a falhas no estande.
É uma praga esporádica, geralmente ocorrendo em reboleiras, principalmente em anos secos.
Existem alguns problemas que dificultam o controle, como a retenção da calda de aplicação na palhada e o hábito noturno da praga, assim, recomenda-se realizar pulverizações noturnas e lembrar que o alvo é o solo, portanto, usar bico e gotas que dêem boa cobertura além de utilizar inseticida com boa ação de profundidade.

Facebook Agrofértil:
http://www.facebook.com/pages/Agrof%C3%A9rtil-Com%C3%A9rcio-e-Representa%C3%A7%C3%B5es-Ltda/203981793063226

rodape

Anteriores
5° Gincana Do Milho – Regulamento
Cartão Safra BASF
35ª Edição
3ª Gincana do Milho
34ª Edição
33ª Edição
32ª Edição
31ª Edição
30ª Edição
29ª Edição
28ª Edição
27ª Edição
26ª Edição
25ª Edição
24ª Edição
23ª Edição
22ª Edição
21ª Edição
20ª Edição
18ª Edição
2ª Gincana do Milho
17ª Edição
16ª Edição
15ª Edição
14ª Edição
13ª Edição
12ª Edição
11ª Edição
10ª Edição
9ª Edição
8ª Edição
7ª Edição
6ª Edição
5ª Edição
4ª Edição
3ª Edição
2ª Edição
1ª Edição
Home | Empresa | Fornecedores | Links | Eventos | Fertnews | Contatos